Pare, por favor! - Meu sonho não tem fim

Pare, por favor!

   Voltar à Lista

Um jovem e bem sucedido executivo dirigia por sua vizinhança, correndo um pouco demais em seu novo carro.   

 

Observando crianças se lançando entre os carros estacionados, diminuiu um pouco a velocidade, quando achou ter visto algo.

 

Enquanto passava, nenhuma criança apareceu.

 

De repente um tijolo espatifou-se na porta lateral do carro!

 

Freou bruscamente e deu ré até o lugar de onde teria vindo o tijolo.

 

Saltou do carro e pegou bruscamente uma criança, empurrando-a contra um veículo estacionado e gritou:

 

"Por que isso? Quem é você? Que besteira você pensa que está fazendo? Este é um carro novo e caro, aquele tijolo que você jogou vai me custar muito dinheiro. Você tem noção do que fez?"

 

"Por favor, senhor, me desculpe, eu não sabia mais o que fazer! Ninguém estava disposto a parar e me atender".

 

Neste momento, lágrimas corriam do rosto do garoto, enquanto apontava na direção dos carros estacionados.

 

"Meu irmão é paralítico e na descida ele caiu de sua cadeira de rodas, e eu não consigo levantá-lo sozinho".

 

Soluçando, o menino perguntou ao executivo:

 

"O senhor poderia me ajudar a recoloca-lo em sua cadeira de rodas? Ele está machucado e é muito pesado para mim".

 

Movido internamente, muito além das palavras, o jovem motorista, engolindo sua surpresa, dirigiu-se ao jovenzinho, colocando-o em sua cadeira de rodas.

 

Tirou seu lenço, limpou as feridas e arranhões, verificando se tudo estava bem.

 

"Obrigado, e que Deus possa abençoá-lo", disse a criança a ele.

 

O homem então viu o menino se distanciar, empurrando o irmão em direção à casa.

 

Foi um longo caminho de volta para o carro, um longo e lento caminho de volta. Ele nunca consertou a porta amassada.

 

Deixou assim, para lembrá-lo de não ir tão rápido pela vida, que alguém tivesse que atirar um tijolo para obter a sua atenção.

 

Deus sussurra em nossas mentes e fala aos nossos corações. Algumas vezes quando nós não temos tempo de ouvir, ele tem de jogar um tijolo em nós.

 

E a escolha é nossa: ouvir o sussurro ou esperar pelo "tijolo".

 

 

"A maior de todas as doenças atuais é o sentimento que a pessoa tem de ser indesejada, de estar abandonada e relegada ao esquecimento por todos. O maior de todos os males é a falta de amor e a terrível indiferença para com o nosso semelhante." - Madre Teresa

 
 
   Voltar à Lista

 


Copyright © 2018 ONG “Meu sonho não tem fim” - Todos os direitos reservados.

Powered by 2 SYS